Solar dos Jovens de Ontem, de Porto Ferreira, foi contemplado com a 2ª dose da vacina da Fiocruz

Divulgado em 03/05/2021 - 12:30 por portoferreirahoje

“Acompanho todos os dias as notícias sobre o assunto e fiquei muito triste quando começou o noticiário falando sobre a contaminação das pessoas por COVID-19”. Assim Nadyr Bagetto, inicia sua narrativa sobre o significado da vacinação, estando em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos.

A idosa, de 75 anos, institucionalizada no Solar dos Jovens de Ontem desde 2017, fala com propriedade sobre o assunto, relando com precisão aquilo que os jornais informam. Porém, ao tomar a 2º dose da vacina da Oxford, Fiocruz, ela entrou para feliz estatística de idosos vacinados em instituições de longa permanência em todo o Brasil.

“Ao saber que fui vacinada e que isto representa imunização, achei a coisa mais maravilhosa do mundo. Traz confiança e por isto, agradeço a Deus e a todos envolvidos, que estão trabalhando para que o mundo saia desta situação, completou Nadyr”.

Belas palavras, que juntadas a consciência e respeito ao próximo, realmente farão a diferença em nosso mundo. Embora os números de contaminados em Porto Ferreira não sejam nada animadores, com 3.860 contaminados e 100 mortes, segundo o boletim epidemiológico de 28 de abril de 2021, o Solar dos Jovens de ontem, entrou para o grupo seleto dos 3.732 idosos vacinados e assim fazem parte das 14.157 pessoas vacinadas em Porto Ferreira até a data supracitada.

“Isto significa não só uma esperança para o Solar dos Jovens de ontem e para Porto Ferreira, mas para todo o País, confessa Maria de Lourdes, gestora do Solar dos Jovens de Ontem”.

Para Waleska, enfermeira RT da instituição para idosos em Porto Ferreira, é necessário mais que vacinar o público alvo, é preciso que haja uma consciência coletiva da gravidade vivida. Os números não mentem e correspondem a falta de compreensão de muitos cidadãos que estão acostumando com uma pandemia mortal, fazendo com que as estatísticas de contaminados aumentem por falta de conscientização.

Já foi comprovado que as prevenções básicas evitam o contágio, mas não houve um progresso e um avanço de consciência social. Consciência esta que o Solar presa isolando seus moradores, realizando suas atividades internas sem o contato com o público e mesmo que gere saudades, é necessário entender que uma instituição com vários moradores é uma colônia e isto requer todos os cuidados.

Os moradores já compreenderam a real importância dos protocolos estabelecidos para segurança de todos. Uma vez que o ano passado, houve a contaminação de três idosos por COVID-19 e dentre estes, a idosa Tereza Mariano infelizmente veio perder a vida.

Em função desta perda, houve várias reuniões entre a diretoria, Dr. Weber Spegiorin S. Leite, médico voluntário do Solar, as gestoras e equipe técnica, com o intuito de intensificar os protocolos a fim de evitar contaminações.

Depois do contágio, até a chegada das duas doses da vacina, os moradores do Solar ficaram isentos de contaminação e a instituição espera manter este quadro, com muito trabalho, confiança em Deus, esperança e a confiança que a vacina traz, refletidos na fala da gerontóloga Gabriele Peripato: “A vacina significa muito. É uma questão de esperança e assim lutamos para que vidas sejam preservadas na instituição e que isto tudo vai passar. Sonhamos com a volta dos passeios, dos momentos fraternais em que os idosos poderão contemplar as pessoas que elas amam e assim poderem abraçar, com aquele sentimento de cura e liberdade para todos”. 

Por Alex de Souza Magalhães - alexoescritormagalhaes@gmail.comtarget="_blank">alexoescritormagalhaes@gmail.com>